A história do homem que levou a criança ao monte

A primeira aparição do nome Moriá foi a 4100 anos, e está em textos do judaísmo, que deu base ao cristianismo moderno, mas também do islamismo, coisa que muitos cristãos desconhecem.

Supostamente um homem levou uma criança a este monte para oferece-la em sacríficio à um Deus que, apesar de pedir o sacrificio não o queria.

A curiosa história de Abraão começa em Ur, uma das cidades antigas mais famosas da história, onde hoje é Bagdá, o judaísmo sugere que ele era descendente de Sem, filho de Noé, já o alcorão não faz menção alguma a essa descendência.

#MIGRAÇÕES

Ao que parece o pai de Abraão migrou de Ur com alguns de seus parentes, ainda quando Abraão era criança, para Haran. A bíblia e os textos judaicos citam apenas que Deus disse à Abraão, quando ele tinha por volta de 60 anos, para sair de sua família e de sua terra, sendo esse o primeiro indício da fé monoteísta de Abraão. Vale citar que a região mesopotâmica e a família de Abraão eram politeístas, e é aí que o Alcorão cita o que é suprimido nos textos judaicos, ele migra depois de se dissociar de seu pai e tribo devido a sua descrença, e mais do que isso, quando jovem (pois o alcorão o chama de rapaz) o povo da cidade tentou executar Abraão por ele ter rejeitado seus ídolos (o que nos lembra o filósofo grego Sócrates e o profeta judaico Daniel), sendo explícito  no texto que o evento ocorreu antes que Abraão saísse de Ur, mas não sendo claro se fora esse o motivo.

O islã se fundamenta em 5 pilares, e o segundo deles está relacionado a orações diárias, onde em algum trecho os muçulmanos devem pedir à Deus para que abençõe o Profeta Ibrahim (Abraão).

Depois de sair da Mesopotâmia Abraão é guiado até uma terra em Canaã, esse nome é derivado de Cã, filho de Noé, ao qual se atribuiu a origem dos cananeus, em um trecho de Gênesis Canaã seria a 10º geração: Adão -> Sete -> Enos -> Quenã -> Malalel -> Jarede -> Enoque -> Matusalém -> Lameque -> Noé -> Cã -> Canaã.. e é de Cã que descendem também os povos semitas, sendo citados nas histórias religiosas como os filisteus, os hititas e os amoritas.

Após o dilúvio Cã é amaldiçoado pelo seu pai, que o chama de maldito e diz que será servo dos servos de seus irmãos. Estaria Noé profetizando que um dos descendentes de Sem (Abraão) irmão de Cã, herdaria a terra dos cananeus?

De Canaã, Abraão e sua família vão para o Egito, devido a época de grande fome, e lá faraó se encantou com a beleza exuberante de Sarah, esposa de Abraão, e a levou ao palácio. Vale lembrar que Sarah deveria estar com uns 70 anos na época. Deus então castigou o faraó que a devolveu ao seu esposo. O texto diz que Deus estava testando o coração de Abraão, mas a bíblia e o alcorão não falam nada sobre a verdadeira intenção de Deus no evento.

Tendo eles voltado para Canaã, se fixaram onde provavelmente era Salem, não confundam com a Salem das bruxas americanas, a cidade de Salem, ao sul de Betel, deu origem a formosa Jerusalém.

Houve uma guerra de nove reinos, e nessa batalha Sodoma foi derrotada e Ló foi levado como prisioneiro, Abraão sendo tio de Ló, juntou homens entre os seus e foi ao resgate, essa foi a batalha dos 318 que algumas igrejas neopentecostais atuais citam em reuniões de prosperidade, pois no texto com seus poucos homens Abraão atacou Sidim (atual Damasco) e voltou vitorioso com Ló.  Diz-se que Abraão foi um dos primeiros monoteístas depois de Noé, mas o livro de Gênesis cita Melquisedeque, rei de Salém como um sacerdote do mesmo Deus que chamou a Abraão, e é no mesmo trecho que o dízimo aparece pela primeira vez com esse nome, após vencerem a batalha o tio de Ló entrega a décima parte de tudo a Melquisedeque  (Gênesis 14:18 – 20).

Fontes históricas, não bíblicas citam que Abraão tentou firmar alianças em toda a região de Canaã, o que o tornaria um grande líder regional, talvez acima dos reis locais. Mas Melquisedeque o convenceu a desistir da ideia, e pensar em um reino menos material, algo mais voltado a um mundo diferente, mais espiritual, e como o próprio rei não tinha descendência, prometeu seu reino a ele.

#PROMESSA

Abraão é um nome bem popular no estudo das religiões judaico-cristãs e islamica, por ser o pai de uma grande nação, e descendência era o que se tinha de mais prezado naquele tempo. Mas como seria possível se Sarah, até então sua única esposa citada nos textos, era estéril?

Deus fez uma promessa a Abraão de dar-lhe um filho, como o tempo passou a esposa dele resolveu “ajudar” e fez Abraão ter relações com sua serva para dar-lhe este filho, isso ao que parece era comum na época. De Agar, a serva, nasceu Ismael, mas segundo o relato judaico e a bíblia, esse não seria o filho da promessa, então de Sarah milagrosamente nasceu Isaque. Bem, de Isaque nasceu Jacó que é pai de 12 filhos, as 12 tribos de Israel. Mas o alcorão conta a mesma história porém identifica Ismael sendo o primogênito e filho da promessa, portanto para os muçulmanos Ismael e não Isaque é o detentor das promessas feitas a 4 mil anos.

Segundo a própria bíblia Ismael se fixou em Parã e com uma egípcia teve também 12 filhos. Em Gênesis 21:13 da bíblia cristã lê-se: “… mas também do filho desta serva farei uma nação, porquanto é tua descendência.”, e viveram em uma região chamada Sur, um trecho da palestina ao norte dos desertos do Sinai, e por esta mesma região, séculos depois os descendentes de Isaque, povo de Israel, passou após cruzar o mar vermelho saindo do Egito.

Ainda antes de Isaque nascer e Agar e Ismael serem expulsas da tribo em direção a Parã, Abraão e os seus sairam de Salem e foram para Gerar, que ficava também próxima a Sur. Longe de seu amigo Melquisedeque, ele se tornou menos ativo política e militarmente, porém mais entendedor da mensagem que seu amigo deixara, e passou a difundir a crença monoteísta em seu Deus.

#O MONTE

Já sem Ismael, Abraão foi intimado por Deus a realizar um sacrifício, e sacrifícios eram comuns no mundo antigo, mas Deus nunca aceitara em todas as histórias um sacrifício humano. Naquele momento Deus pedira Isaque, e como Ismael fora expulso, esse era o único filho que sobrara em sua casa para herdar suas coisas.

Na crença judaico-cristã, Abraão leva Isaque até as terras de Moriá, em um monte escolhido pelo próprio Deus, e Isaque inocentemente não sabe o que acontecerá. Já no alcorão o texto é citado como sendo Ismael essa criança e a história acontecendo antes do nascimento de Isaque, sendo que desde o início Ismael sabia que seria sacrificado. Nas duas fontes o final é o mesmo, Deus impediu Abraão de realizar o assassinato, e o bendice pela sua crença de que Deus resolveria toda a situação.

A região do Moriá foi comprada por Davi séculos depois, isso mesmo comprada! E nesse mesmo monte, o israelita Salomão construiu o grande templo, por volta de 3000 anos atrás. E em 586 a.c. o rei babilônico Nabucodonosor II destruiu o tempo em uma de suas invasões à Judá, mas 70 anos após sua destruição seria reerguido e se manteria de pé por mais 500 anos, até a chegada de Herodes em 70 da nossa era. E no mesmo local Herodes edificou outro templo, que vejam só foi destruído em 135 pelas tropas de Adriano, e este construiu ali mais um templo, que era destinado a Júpiter, e se tornou solo maldito em 636. Foi nesse ano que a invasão árabe retirou o templo, que já havia sido demolido na luta da invasão, e deixou o monte limpo, como na época de Abraão.

Em 691 o árabe Abdel Malek construiu ali a primeira mesquita. Para o islamismo também foi nesse monte que Maomé foi elevado aos céus em um carro de fogo, este é o terceiro local mais sagrado no mundo islâmico, atrás apenas de Meca e do túmulo do profeta na cidade de Medina. E é a cúpula dourada do Templo da Rocha que hoje vemos como cartão postal de Israel, sendo na verdade um templo muçulmao.

O Muro das Lamentações, outro cartão postal de Israel, envolve o monte Moriá em um trecho, e é tudo que sobrou do templo dos judeus.

As duas atrações tem acessos diferentes e pertecem a cultura de povos distintos, e ainda hoje fazem do monte Moriá um local religioso e de renome.

Moriá, segundo estudiosos da língua Hebraica, deriva de Mora, que se traduz como temor.

Abraão e Moriá são nomes de grande destaque no mundo judaico, e o judaísmo serviu como base para religião muçulmana e para os cristãos, mas na sua própria história apesar de citar Abraão como pai da fé, destaca que ao redor dele já haviam inúmeros monoteístas, e que ele mesmo foi levado pelo ‘seu’ Deus até um rei que partilhava da mesma fé em Salem. Todos nós, mesmo os que se dizem mais virtuosos entre o virtuosos, necessitamos muitas vezes, sermos levados até o local onde aprendemos a crer naquilo que cremos.

No que você crê?

Deixe seus comentários aqui

comments